A oração do Credo é uma das mais importantes e reverenciadas orações da tradição católica. Ela é uma declaração de fé que resume os princípios fundamentais da doutrina cristã. Existem duas versões principais do Credo: o Credo Comum e o Credo Constantinopolitano.

O Credo Comum

Oração do Creio(Credo)

Creio em Deus Pai Todo-Poderoso, Criador do céu e da terra, creio em Jesus Cristo, seu único filho, Nosso Senhor, que foi concebido pelo poder do Espírito Santo, nasceu da Virgem Maria, padeceu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado morto e sepultado, desceu à mansão dos mortos, ressuscitou ao terceiro, dia subiu aos céus, está sentado à direita de Deus Pai, todo poderoso, de onde a de vir a julgar os vivos e os mortos. Creio no Espírito Santo, na Santa Igreja Católica, na comunhão dos Santos, na remissão dos pecados, na ressurreição da carne, na vida eterna. Amém.”

O Credo Comum, também conhecido como Credo dos Apóstolos, é uma oração que remonta aos primeiros séculos do cristianismo. Ele é chamado de Credo dos Apóstolos porque se acredita que tenha sido composto pelos próprios apóstolos de Jesus Cristo.

Essa oração é recitada em muitas igrejas durante a celebração da Eucaristia e também é frequentemente rezada pelos fiéis em momentos de oração pessoal. O Credo Comum é uma afirmação concisa das crenças básicas do cristianismo, incluindo a crença em Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo, bem como a crença na Igreja e na vida eterna.

O Credo Constantinopolitano

Oração do Credo Niceno-Constantinopolitano

Creio em um só Deus, Pai Todo-Poderoso, criador do céu e da terra, / de todas as coisas visíveis e invisíveis. / Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigênito de Deus, / nascido do Pai antes de todos os séculos: Deus de Deus, luz da luz, / Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, / gerado, não criado, consubstancial ao Pai. / Por ele todas as coisas foram feitas. / E por nós, homens, e para nossa salvação, desceu dos céus:

(aqui todos se ajoelhem)

e se encarnou pelo Espírito Santo, / no seio da Virgem Maria, e se fez homem.

(aqui todos se levantem)

Também por nós foi crucificado sob Pôncio Pilatos; / padeceu e foi sepultado. / Ressuscitou ao terceiro dia, / conforme as Escrituras, / e subiu aos céus, / onde está sentado à direita do Pai. / E de novo há de vir, / em sua glória, / para julgar os vivos e os mortos; / e o seu reino não terá fim. / Creio no Espírito Santo, / Senhor que dá a vida, / e procede do Pai e do Filho; / e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: / ele que falou pelos profetas. / Creio na Igreja, una, santa, católica e apostólica. / Professo um só batismo para remissão dos pecados. / E espero a ressurreição dos mortos / e a vida do mundo que há de vir. – Amém.

O Credo Constantinopolitano, também conhecido como Credo Niceno-Constantinopolitano, é uma versão expandida do Credo Comum. Ele foi formulado durante o Concílio de Constantinopla, em 381 d.C., como uma resposta às heresias que ameaçavam a unidade da Igreja.

Essa versão do Credo inclui uma profunda reflexão sobre a natureza de Jesus Cristo e sua relação com Deus Pai. Ela afirma que Jesus é “Deus de Deus, Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, gerado, não criado, consubstancial ao Pai”. Essas palavras são de extrema importância para a teologia cristã e ajudam a definir a compreensão da divindade de Jesus.

O Credo Constantinopolitano também reafirma a crença na ressurreição dos mortos e na vida eterna. Ele é uma afirmação poderosa da fé cristã e é recitado em muitas liturgias e celebrações da Igreja Católica e de outras denominações cristãs.

A Profunda Significância

A oração do Credo Constantinopolitano tem uma profunda significância para os fiéis católicos e cristãos em geral. Ela é uma expressão de fé que une os crentes em sua crença comum em Deus e em Jesus Cristo.

Essa oração nos lembra da importância de afirmar e professar nossa fé em Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo. Ela nos convida a refletir sobre a natureza divina de Jesus Cristo e a reconhecer sua importância central para a nossa salvação.

Além disso, a oração do Credo Constantinopolitano nos recorda da esperança que temos na vida eterna. Ela nos lembra que nossa existência não se limita a esta vida terrena, mas que temos a promessa de uma vida eterna com Deus.

Na tradição católica, a oração do Credo Constantinopolitano é frequentemente recitada durante a Missa, especialmente durante o momento da Profissão de Fé. Ela é uma oportunidade para os fiéis renovarem sua fé e se unirem em comunhão com a Igreja Universal.

Em resumo, a oração do Credo Constantinopolitano é uma poderosa expressão de fé que nos lembra das verdades fundamentais do cristianismo. Ela nos convida a refletir sobre nossa relação com Deus e a professar nossa fé em Jesus Cristo. Que essa oração possa nos fortalecer em nossa jornada de fé e nos lembrar da esperança que temos na vida eterna.

Compartilhe Com Seus Amigos Católicos!

Categorizado em:

Orações, A FÉ,

Última atualização: 25 de março de 2024